Escola Superior de Educação Politécnico de Coimbra
ESEC Politécnico de Coimbra
A ESEC
Estudar
Investigar / Transferir
Menu secundário
Imagem

A (re)ação do turismo e hotelaria face à crise pandémica

Quarta, 2 Junho, 2021

De acordo com a Organização Mundial de Turismo, esta é a pior crise que o turismo internacional tem enfrentado desde o início dos registos, em 1950. Em Portugal, o Instituto Nacional de Estatística e o Banco de Portugal alertam que o ano de 2020 regrediu ao nível do ano de 1993 em termos de dormidas (apenas 23,6 milhões). Ou seja, há 27 anos que não eram registados números de dormidas tão baixos. Todos os dias do último ano e, praticamente, por todo o mundo, os números record do turismo abrem noticiários e fazem capas de jornais. A incerteza, o medo, o confinamento, o distanciamento físico, as restrições de mobilidade e o fecho de fronteiras geraram uma crise prolongada e sem precedentes no setor.

Contudo, se, por um lado, esta crise pandémica acarreta prejuízos financeiros inegáveis e incalculáveis para a grande maioria das empresas a operar no âmbito do turismo e hotelaria, por outro, constitui uma grande oportunidade. Talvez seja um defeito pessoal, mas gosto sempre de ver o “copo meio cheio”. É a oportunidade de reestruturar, de reorganizar, de (re)agir.

A procura turística está “confinada”, mas não desapareceu. Ao contrário, vários estudos apontam para o acréscimo de valorização da viagem turística. No entanto, sabe-se também que as suas necessidades, desejos e motivações se alteraram. Assim, se a adaptação às novas tecnologias, ao digital e até ao virtual foi uma preocupação de 2020, o capital humano, a flexibilidade, a criatividade e a sustentabilidade são os desafios de 2021 em diante.

Os profissionais e futuros profissionais do sector são, sem dúvida, os ativos-chave para o desenvolvimento de novos produtos, serviços turísticos mais criativos e de modelos de negócio mais flexíveis e sustentáveis no período pós-pandémico. A formação e capacitação em turismo e hotelaria e o reconhecimento e valorização dos seus profissionais nunca fez tanto sentido. A (re)ação já está em marcha e faz-se de pessoas, com pessoas e para pessoas. A verdadeira “substância” do turismo e hotelaria.

Andreia Moura - Docente e Coordenadora da Pós-Graduação em Gestão Turística e Hoteleira 

‹ Voltar