Logotipo IPC

  esec no facebook esec no twitter ESEC no youtube by ESECTV
  Sexta Feira • 23 de Junho de 2017  PT EN

16.01.2017

Alunos de Teatro e Educação apresentam "Entre Ruínas, Entre Gente"

26 janeiro-4 de fevereiro - Oficina Municipal de Teatro

Uma produção dos finalistas de Teatro e Educação da ESEC - Escola Superior de Educação de Coimbra em colaboração com O Teatrão

Os alunos finalistas do curso de Teatro e Educação da Escola Superior de Educação de Coimbra (ESEC) estreiam, no próximo dia 26 de Janeiro, às 21h30, na Oficina Municipal do Teatro (OMT), a peça “Entre Ruínas, Entre Gente”, sob a direção de António Fonseca e Pedro Lamas, numa colaboração com o Teatrão.

O espetáculo surge no âmbito do Projeto de Intervenção, onde sete figuras fazem uso do tempo que os espetadores generosamente concedem para, sem cerimónias, o matarem. O público será cúmplice e testemunha desse crime hediondo e quotidiano, que todos reconhecemos ser algo que já cometemos e voltaremos a cometer – basta estarmos entediados.

Estas figuras habitam um lugar estranho, um não-lugar, que se adivinha ter sido outrora, talvez, uma cidade, um lugar vivo e pulsante, onde seres humanos viviam e circulavam, sangue de um organismo maior; agora, as figuras que ficaram dedicam-se a esperar por algo, a viver por proxy, a imaginarem crimes que querem desvendar para não deixarem de existir. Matam o tempo porque é a sua nova forma de vida. E como o fazem?

Esbatendo a fronteira entre o real e o imaginário, as figuras fazem uso do pouco que lhes resta para desvendar um crime muito antigo, jogar às tabernas e brincar com pedras, vagabundos, reis, adivinhos, heróis, assassinos e guerras longínquas. Vão fazer algo acontecer, enquanto esperam que algo aconteça.

Paralelamente ao espetáculo, teremos quatro atividades lúdicas à disposição do público, instaladas na Tabacaria e no relvado exterior à frente do edifício da OMT. Estes jogos estão relacionados com não só com o tema “matar o tempo”, mas sugerem também alguns símbolos e imagens que serviram de inspiração à própria dramaturgia e jogo cénico.

Existirão três jogos à disposição do público, elaborados num "percurso" que combina desafios físicos (coordenação para tiro ao alvo, baixar-se para ver para dentro de uma caixa grande) e mentais (resolução de enigmas): no primeiro jogo, cada participante tenta jogar "frango ao alvo", tendo de atirar um frango de borracha para dentro de uma panela, tendo de passar por dentro de um pneu; em seguida, os participantes podem tentar abrir uma caixa-mistério com o código certo (sendo que podem ir buscar códigos a uma taça, com um número limitado de tentativas); finalmente, terão de decifrar símbolos para formar uma frase. No final do percurso, quem tiver terminado com sucesso tem direito a um prémio, redimível junto do Mestre de Jogos.

 

SINOPSE
Somos assassinos de Tempo - do vosso, sobretudo, sabendo que são vocês que no-lo dão na mais completa generosidade. Olho por olho, convidamos quem vier a ser cúmplice e testemunha neste nosso tempo. Vamos desvendar um crime muito antigo, jogar às tabernas e brincar com pedras, vagabundos, reis, adivinhos, heróis, assassinos e guerras longínquas. Vamos fazer algo acontecer, enquanto esperamos que algo aconteça.
Quando um ato de destruição acontece, quem são os que vão e quem são os que ficam? Porque vão uns e ficam outros? Nós sabemos somente que ficámos. Para trás, para debaixo da terra, para dentro de nós mesmos. Retiraram-nos o tempo que tínhamos e deram-nos um outro tempo, um que é preciso preencher contra o silêncio ensurdecedor; ouvimos constantemente os ecos do mundo e reagimos às provocações que uma força exterior - cuja face não adivinhamos, mas cujos mecanismos reconhecemos - nos vai oferecendo, de modo a podermos matar alguém ou algo, impunemente, como antes vimos acontecer ali ao lado ou à nossa frente.


TEXTO: do grupo, a partir da releitura de obras da dramaturgia universal, notícias locais e elementos da cultura pop
COM: Adriana Martins, Cassandra Monteiro, Diogo Guerra, Joana Nobre, Marcela Fanqueiro, Mariana Ferreira e Mónica Cadete
DIREÇÃO: António Fonseca e Pedro Lamas
CENOGRAFIA E FIGURINOS: Filipa Malva
DESENHO DE LUZ: Jonathan Azevedo
DIREÇÃO MUSICAL: Cristina Faria
FOTOGRAFIA DE CENA: Carlos Gomes
DESIGN: Paulo Hardman (Studio and Paula)

 

ESEC/Colaboração O Teatrão 2016/2017

de 26 de janeiro a 04 de fevereiro

Segunda a sábado às 21h30

Domingo às 17h00

Preço único 4€ (entrada gratuita a alunos, funcionários e professores da ESEC)

Informações e reservas: 239 714 013 / 912 511 302 / reservas@oteatrao.com

 Levantamento de bilhetes:

Dias úteis: 10h-13h e 14h30-19h e uma hora antes do espetáculo.


Partilhar: 



 

{ Consultar o arquivo

  pessoas

 
  Alunos
Candidatos
Consulta Pública de Notas

Informações

[+] Mais Informações em MyEsecWeb 

ESEC-em-destaque
Galeria de Imagens Site da ESECTV CINEP IWE Historico de projetos
Links de rodape

Escola Superior de Educação de Coimbra © 2008
Termos de UsoMapa do Site | Ficha Técnica | rss |  Facebook | Google+  Twitter | Símbolo de Acessibilidade na Web D |Administração do Site
Revista Cientifica - Exedra eU B-on